domingo, 24 de outubro de 2010

Filtro Berkefeld

Vejam que raridade! 
Por isso quis compartilhar com vocês!

Você já se perguntou como eram os filtros de antigamente? Pois aí está um, são poucas informações que se tem sobre este filtro, sabe-se que ele é do século XIX e início do século XX. Pertence ao estilo artístico Art Nouveau, foi fabricado pela empresa alemã Berkefeld para a empresa francesa Compagnie Française du Filter. Este é um sistema de filtragem por gravidade, onde o oleiro inglês, Henry Doulton, foi o responsável pelo primeiro empreendimento comercial de filtros cerâmicos para a eliminação de bactérias da água potável. Em 1815 a rainha Vitória encomendou Doulton para produzir um filtro de água para a casa Real e Malthus criou uma gravidade, alimentada por um sistema de filtragem com um filtro de cerâmica. 
Bom, isto é o que se sabe sobre este filtro, se alguém saber algo, por favor me informe!
Abraços e boa semana a todos!!! 

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

FENAPEL - 2010

Vem aí a 4º edição da FENAPEL - Feira Nacional de Papelaria, Escritório, Informática e Livraria em Belo Horizonte. A FENAPEL ocorrerá entre os dias 27 à 30 de outubro no Expominas. Para mais informações clique aqui.


Cortina e Adesivo de Parede

Olá, vejam o efeito da cortina sobre o adesivo de parede. Não ficou um máximooo!!!

Estilos de decoração - por Fernando Piva

São muitas as maneiras de decorar. Pode-se partir de composições fiéis a um único movimento ou misturar vertentes das mais variadas. Aumente o seu repertório conhecendo os estilos de decoração.

Estilo é a tradução de um modus-vivendi, ou seja, é o reflexo de como se vive e de como se imprimem os conceitos e os valores estéticos de um povo, família ou indivíduo. Na arquitetura e decoração são muitos os estilos, no entanto é possível selecionar os mais marcantes ao longo da história. São estes que você acompanha a seguir, vale lembrar, porém, que todos eles também se dividem em várias vertentes, gerando uma infinidade de novas leituras.

Clássico - Neste estilo englobamos o francês e o inglês e suas variantes. Caracteriza-se por decorações refinadas, com muito trabalho nos tetos e nas paredes (as famosas boiseries, que se transformaram nos lambris que hoje conhecemos), tapeçarias, lustres de cristal, espelhos, mobiliário entalhado, cores fortes, como dourado, vinho e vermelho e tecidos sofisticados, como seda e veludo. Ele reflete a opulência européia do século 17, com seus castelos e palácios decorados ricamente para sediar grandes festas e banquetes.


Contemporâneo – Este estilo prima pelas linhas retas e formas puras, em ambientes bem definidos, em que a função tem tanto peso quanto a estética. Paletas de cores claras (principalmente o branco) ou escuras compõem espaços e móveis, em que o desenho limpo e detalhes sutis, quase imperceptíveis, trazem sofisticação e sensação de bem-estar. O lema do contemporâneo é a frase cunhada pelo arquiteto alemão Mies Van der Rohe no início do século 20: Menos é mais. Hoje, este é o estilo mais usado no mundo todo, pois acompanha a praticidade da vida moderna. Além disso, ele permite mesclar outros estilos, o que ajuda a disfarçar seu ponto fraco: a pasteurização dos espaços. Isto porque a decoração contemporânea pura torna todas as casas iguais. Já, ao inserir objetos de vertentes diferentes, consegue-se dar personalidade aos ambientes.


Étnico – Aqui podemos incluir decorações em que a temática vêm da cultura e do artesanato de tribos ou povos de diferentes partes do mundo. A vertente africana é a mais forte dos últimos anos. São muito apreciados os seus tecidos de estampas marcantes e de interessante contraste de cores, estátuas e máscaras. O Oriente também exerce fascínio. China e Japão há muito fornecem inspiração para a decoração ocidental, no entanto hoje Bali e Tailândia tornaram-se mais populares entre nós. Um dos motivos foi o boom de exportação brasileiro de móveis e objetos desses dois paises, gerando excelente relação de custo e beneficio. São peças leves, descontraídas, sob medida para ambientes alegres e práticos.


Retrô / Vintage – Decorações assim pedem elementos do passado, principalmente dos anos 1940, 50 e 60. Muito em voga atualmente, caracterizam-se pela composição de móveis e objetos pontuais, de preferência de linhas puras e design assinado. O bacana aqui é integrar esses itens à realidade de hoje, fazendo com que se harmonizem com a parafernália eletrônica moderna e com a multifuncionalidade da casa do século 21. Tudo indica que é uma tendência que chegou para ficar.


Provençal – Este estilo sofisticado, datado do final do século 17, vem do interior da França. Sua base é clássica, inspirada na decoração carregada dos palácios e castelos, porém nesta versão, são as pátinas, a pintura branca e os decapês, imprimindo ar desgastado aos móveis, que aparecem com força total. Tudo aliado aos tecidos claros, em composição com cores pastel, como o verde, o bege, o lilás e o azul. Estampas florais, xadrezes, listrados e o Toile de Jouy, célebre por suas cenas campestres, arrematam o contexto. Optar pelo provençal garante frescor à casa, pois trata-se de uma decoração leve, bucólica e romântica.


Rústico - Madeira bruta e escura, em que veios, ranhuras, nós e rachaduras ficam aparentes, é o material que mais caracteriza o mobiliário deste estilo. Mas aqui também são bem-vindas as composições com fibras naturais, como vime, taboa e bambu. São peças de linhas retas e simples, que integram o homem à natureza. Apesar da rusticidade, estes móveis têm trânsito livre em decorações sofisticadas, proporcionando contrastes elegantes.

Fonte das informações: Casa Abril

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Participe!

Evento gratuito.
Clique na imagem para mais informações.

Faça suas rosas durarem mais!

Vamos lá:
- Troque a água pelo menos de dois em dois dias, e não esqueça de lavar o recipiente;
- Corte na diagonal a base do talo, desta forma, você renovará os caminhos por onde a água passará;
- Evite deixar folhas sobre a água.
Com essas dicas você prolongará um pouco mais a vida da sua florzinha!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Caixas Organizadoras



Como o próprio nome diz as "caixas organizadoras" contribuem tanto para a organização dos grandes espaços como os armários, closets, quartos, ateliês e áreas de lavar, além dos pequenos objetos, por exemplos, maquiagens, bijuterias e remédios. Proporcionam harmonia visual nos ambientes, evitando assim que os objetos fiquem espalhados e expostos. Nada melhor que um ambiente agradável, com poucas coisas à vista. Pense nisso! 





sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Romantismo Provençal

Quanto romantismo tem este estilo de decoração! É um dos meus preferidos!!! Para quem gosta também, clique aqui e aprenda a fazer a pátina provençal com a Vila do Artesão.












Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...